Se têm algum tempo livre, o melhor é não desperdiça-lo a ouvir o trabalho dos One Direction e saltar numa viagem pela primeiro álbum a solo de Zayn, “Mind of Mine”.

Em 2010, Simon Cowell decidiu juntar cinco jovens concorrentes do “X-Factor” e formar um grupo, os One Direction. Cinco anos e quatro álbuns depois, os fãs da boy band quase tiveram um colapso nervoso quando Zayn Malik bateu com a porta e deixou o barco. “Estou a sair porque quero ser um adolescente normal de 22 anos”, escreveu a 25 de março de 2015.

Um ano depois de ter abandonado os colegas, o jovem cantor editou o primeiro disco, “Mind of Mine”. Em poucas semanas bateu os recordes do antigo projeto e conquistou um novo público, muito diferente daquele que gostava das canções pop-chiclete dos 1D.

“Mind of Mine” é o cartão de apresentação perfeito para o mundo de Zayn. É a oportunidade para o conhecermos e, sobretudo, para conhecermos a sua voz e a sua “onda” musical.

Da primeira à última canção, o músico é verdadeiro. Pela primeira vez consegue mostrar aquilo que quer, revelou o próprio em verias entrevistas.

“Pillowtalk” é o primeiro single extraído do disco. Mas é  “It’s You”, uma balada com zero de gravidade e algum fumo, que fica no ouvido e que espeta a mensagem sem rodeios. És tu e mais nada.

“She” é outra das canções que conquista de forma certa. Um tema orelhudo que ainda poderá servir de single.

Este é o novo caminho de Zayn. A nova direção. Surpreendente, diferente e que faz tremer as suas inspirações nos tops. Esperemos pelo futuro.