Kygo estreou-se em Portugal, no MEO Arena, em abril de 2016. 

Por ser difícil ter uma carreira rentável na música, o jovem norueguês decidiu estudar economia em Edimburgo, a 2720 km da sua terra natal, Bergen (Noruega).

Considerado pela reconhecida revista Billboard como a nova estrela da Electronic Dance Music (EDM), KYGO passou de produtor de quarto a um dos mais considerados artistas de electrónica da atualidade. Mas a música nem sempre fez parte dos planos do norueguês. Toda a gente me dizia que era um mundo complicado”, contou em entrevista ao talk-show Skavlan.

Por ser difícil ter uma carreira rentável na música, o jovem norueguês decidiu estudar economia em Edimburgo, a 2720 km da sua terra natal, Bergen (Noruega).

Apesar dos estudos, nos tempos livres, Kyrre fechava-se no quarto a remisturar músicas – num estilo house-tropical -, partilhando o trabalho nas redes sociais sob o nome de Kygo.

As faixas produzidas por Kygo chegaram rapidamente aos 80 milhões de visualizações no Youtube e no Soundcloud e chamaram a atenção de Avicii e Chris Martin, artistas que entraram em contacto com o jovem para que produzisse remixes oficiais.

Depois os convites multiplicaram-se e Kygo nunca mais parou. Ed Sheeran, Coldplay, Rihanna, Ellie Goulding, The XX, M83 são alguns dos nomes para quem o DJ já produziu novas versões.

Em entrevista à SVTV1, o jovem admitiu, ainda, que gosta de tornar as músicas dos anos 1980 mais atuais. “Eu gosto de pegar em músicas antigas e gosto de lhes dar uma nova vida. Eu quero criar versões alternativas e modernas. Fiz isso, por exemplo, com “Sexual Healing” do Marvin Gaye”, explicou o DJ.

Depois de dar uma nova vida a canções de vários artistas e bandas, Kygo decidiu trabalhar em originais. “Firestone”  foi o primeiro single e  soma mais de sete milhões de reproduções no SoundClound e YouTube.