Jeff Buckley morreu a 29 de maio de 1997. 20 anos depois, as canções do músico continuam a fazer parte das bandas sonoras das nossas vidas.

Poucos artistas conseguiram o que conseguiu Jeff Buckley: com apenas um disco ficar na história da música. Desde a sua morte prematura em 1997, depois de mergulhar no Wolf River, que o seu disco, “Grace”, é uma referência.

Em pouco mais de 40 minutos, o artista juntou temas originais e versões de canções de Leonard Cohen (“Hallelujah”), Benjamin Britten (“Corpus Christi Carol”) e James Alan Shelton (“Lilac Wine”). Tudo com uma beleza que perdura no tempo.

Jeff Buckley morreu a 29 de maio de 1997 e nesse mesmo dia nasceu o mito, que renasce sempre que alguém carregar no play para ouvir uma das vozes maiores do rock dos anos 90.

 

Recorda a obra do músico: