Entrevista com o ator Maurício José Barcellos, protagonista de “Beira Mar”, filme brasileiro que esteve em destaque no Festival Berlinale e no OutFest Los Angeles.

Durante o inverno, dois rapazes viajam para uma cidade costeira. Martin tem que visitar uns familiares para conseguir um documento para o pai. Tomaz junta-se na viagem, vendo-a como uma oportunidade para reavivar a amizade. Este é o ponto de partida do filme brasileiro “Beira Mar”.

Maurício José Barcellos (Tomaz), um dos protagonistas do filme, conversou comigo sobre o filme e sobre música.

 Para quem ainda não ouviu falar do filme, qual o tema de “Beira Mar”?

O Beira Mar fala sobre a amizade de dois amigos que estão a aproximar-se. Os dois passam um fim de semana juntos no litoral, e assim acabam por descobrir coisas um sobre o outro que antes não sabiam. Os dois passam por um processo de maturidade muito intenso.

Como surgiu a oportunidade de entrar no filme?

Na verdade, foi bem espontâneo. Os diretores encontraram o meu perfil no Facebook e simplesmente mandaram-me uma mensagem a perguntar se gostaria de participar. Eu li imediatamente o guião e fiquei muito interessado. Estava a passar por momentos semelhantes ao da personagem e identifique-me muito com a situação.

Como correram as gravações? 

As gravações decorreram em 2012, durante 40 dias em que ficamos imersos na história. Passamos todos os dias a dormir no quarto das personagens e na maior parte a viver como eles, juntamente com a equipa. Foi um processo bastante interessante e bem diferente do que normalmente acontece. Foi gravado por ordem cronológica, o que ajudou muito no crescimento das personagens.

Que canções andas a ouvir ultimamente?

Eu sou muito apaixonado, desde criança, por The Doors, então, não posso deixar de citar. Mas ultimamente tenho ouvido bastante música popular brasileira, e um tanto de afrobeat.

Qual a música que te faz chorar? Porquê?

The End, The Doors. É uma música que fala sobre o fim, amplamente, e é uma das maiores dificuldades que tenho.

 Há alguma música que associes a uma história de amor?

Não sou muito ligado a histórias de amor, muito menos a  músicas. Mas acredito que Seaside – The Kooks fale um pouco sobre os meus amores, além de me lembrar muito a época em que eu gravava o Beira Mar. Costumo ouvir músicas que falam sobre sentimentos individuais.